Facebook e Instagram proíbem venda de animais nas redes sociais


Uma atualização na política para ofertas comerciais do Facebook, anunciada através de um documento liberado no último domingo (20/5/2018), proibiu a venda de qualquer tipo de animal vivo pelas redes sociais - de estimação ou voltados para pecuária. A proibição também vale para o Instagram, já que o aplicativo faz parte da companhia.

O veto já está nas políticas de segurança, que podem ser acessadas por qualquer usuário do Facebook e do Instagram. Elas também incluem a proibição do comércio de "qualquer parte, peliça ou pele de um animal, incluindo pelo".

Lista de itens proibidos de serem comercializados no Facebook, 
que já incluía armas, munições e drogas ilícitas, agora também tem animais


Agora, os animais e seus "derivados" se juntam à lista de proibições que já incluía armas e munições de qualquer tipo, drogas ilegais (prescritas ou recreativas), produtos para público adulto, bebidas alcoólicas ou que sejam relacionadas a qualquer tipo de jogos de azar. 

A rede social também explicou que seguem podendo ser comercializados jaulas ou gaiolas para animais, além de uma série de produtos como brinquedos e coleiras e serviços como atendimento veterinário, cuidados pessoais, serviços de embarque e transporte de animais. A nova política vale tanto para o Marketplace do Facebook quanto para grupos de compra e venda, seções de comércio eletrônico de páginas e publicações de produtos no Instagram Shopping.

Como denunciar

No documento, o Facebook também explica como os usuários que encontrarem anúncios desse tipo nas redes sociais podem fazer para denunciar. Basta clicar no ícone "..." no canto superior direito da postagem e procurar pela opção "Denunciar publicação". A partir daí, o usuário deve marcar a opção "Acredito que não deveria estar no Facebook".

Na página seguinte, deve-se responder à pergunta "O que há de errado com essa foto ou post?", marcando a resposta "Outra coisa" e, avançando, clicar em "Isso descreve a compra ou venda de drogas, armas ou produtos regulamentados".

Por último, o usuário pode escolher a opção bloquear, ocultar ou enviar uma mensagem para o autor da postagem, mas também pode marcar a opção "Enviar ao Facebook para análise". A partir daí, o usuário pode acompanhar o status de sua denúncia na aba 'Caixa de Entrada de Suporte' ou simplesmente aguardar que o Facebook lhe envie uma mensagem através do Messenger sobre o status de seu pedido.

Fonte: iG 

Fotos: Facebook / Reprodução

Como seus cuidados com a beleza podem estar prejudicando o meio ambiente

Cotonetes com haste de plástico estão entre os vilões que se acumulam nos oceanos 
e podem ser banidos junto com os canudos, nos próximos anos (Foto: Getty Images)



Da hora em que você acorda e lava o rosto pela manhã aos rituais para se arrumar para sair, sua rotina de beleza pode estar prejudicando o meio ambiente.

Cerca de 12,2 milhões de toneladas de resíduos plásticos chegam aos oceanos todos os anos, de acordo com a organização ambiental independente Green Alliance, sediada no Reino Unido.

Grande parte desses resíduos vem de garrafas ou embalagens - estima-se que 80% dos dejetos no mar tenham vindo de terra firme, geralmente por rios, esgotos, lixo deixado em praias ou ação do vento e chuvas.

Mas outra parte dessa poluição, segundo especialistas, se dá por meio de artigos de higiene e maquiagem que escorrem pelo ralo ou são descartados indevidamente.

O governo britânico recentemente proibiu o uso de microesferas - os pequenos pedaços de plástico usados em cosméticos e itens como esfoliantes, cremes dentais e géis para banho - e estuda formas de coibir a utilização de plástico na produção de lenços umedecidos, que são usados, entre outras coisas, para remover maquiagem do rosto.

Mas afinal, que danos o seu regime de beleza tem causado ao meio ambiente ?

Quando você limpa o rosto

Microesferas presentes em esfoliantes de rosto e em outros produtos também 
são poluidores e acabaram proibidos no Reino Unido (Foto: Getty Images)


Um dos produtos mais comuns usados na limpeza do rosto são os esfoliantes, que removem sujeira e células mortas da pele e a deixam mais macia e uniforme.

Um dos principais componentes desses produtos - obtidos na forma de cremes, géis, sabonetes, duchas de banho - são as pequenas partículas que promovem a esfoliação da pele, as microesferas.

Na indústria cosmética, é comum o uso de microesferas de plástico.

Só no Reino Unido, são usadas mais de 680 toneladas dessas microesferas a cada ano.

Essas esferas podem entrar na cadeia alimentar, após serem ingeridas por peixes ou frutos do mar, por isso foram banidas nos EUA e agora o Reino Unido decidiu proibir seu uso.

"A indústria de cosméticos é interessante para começar com esse tipo de proibição porque o problema nela é invisível", diz o diretor técnico da ONG Plastic Oceans, Geoff Brighty.

Nos EUA, a proibição levou empresas a buscar alternativas. Um porta-voz da Clearasil, marca norte-americana de cuidados com a pele, por exemplo, relata que as microesferas foram substituídas, em alguns produtos, por produtos naturais como areia ou cascas de nozes trituradas.

No Brasil, não há restrições ao uso das microesferas pela indústria cosmética.

Quando você retoca a maquiagem ou usa glitter*

Especialistas alertam para cuidados, por parte da indústria, quanto às matérias-primas, 
e também do consumidor na escolha, uso e descarte de produtos (Foto: Getty Images)


Se você usa cotonetes para limpar seu delineador ou rímel, sua rotina de beleza pode ser menos ecologicamente correta do que você pensa.

Os cotonetes com haste de plástico podem ser banidos junto com os canudos de bebida, no futuro.

"Os cotonetes simplesmente viajam através do sistema de tratamento de águas", diz Brighty.

"Esse sistema não é concebido para lidar com microplásticos ou plásticos pequenos como cotonetes. Todos eles simplesmente passam pelos filtros."

E não são os únicos a fazer isso.

Lavar o glitter do seu rosto e deixá-lo descer pelo ralo também afeta a vida aquática, dizem os ambientalistas.

E algumas iniciativas no Reino Unido estão tentando combater isso.

Mais de 60 festivais independentes de música, por exemplo, prometeram se livrar de plásticos de uso único (incluindo glitter) até o ano 2021. Uma rede de creches em Dorset, na Inglaterra, também resolveu banir o glitter das aulas de artes no ano passado, por causa do "dano terrível" que a substância causa ao meio ambiente.

Quando retira sua maquiagem

Remover a maquiagem com lenços umedecidos é prático, mas esse tipo de produto 
também pode prejudicar o meio ambiente (Foto: Getty Images)


Lenços umedecidos são uma das formas mais comuns de remover a maquiagem à noite, especialmente por causa da praticidade.

No entanto, esses lenços descartáveis são um componente-chave dos fatbergs - como são chamadas as grandes massas de resíduos sólidos que se formam com lixo jogado em vasos sanitários -, responsáveis por 93% dos entupimentos de esgoto registrados no Reino Unido.

Os lenços podem se misturar com óleo e gordura no sistema de tratamento de água, virando essa grande massa que obstrui os esgotos.

"Você acaba com a água dos esgotos voltando pelo ralo e as casas das pessoas inundadas", diz Brighty, da Plastic Oceans.

O governo estuda proibir lenços umedecidos, uma vez que a maioria é feita de materiais não biodegradáveis, como o poliéster.

Sua rotina noturna pode fazer maravilhas pela sua pele, mas causar grandes danos ao planeta

Cerca de 13 bilhões de garrafas plásticas são usadas por ano no Reino Unido, 
número que inclui frascos de produtos de beleza e são riscos aos oceanos (Foto: Getty Images)


Por último, se a sua rotina noturna de cuidados com a pele consiste em várias etapas - ou seja, no uso de vários produtos diferentes em embalagens ou frascos plásticos -, provavelmente é hora de repensar o que você está usando.

Você pode estar somando os seus frascos ao lixo plástico acumulado na Terra.

Um estudo norte-americano de 2017 diz que o volume total de plástico já produzido no mundo é de cerca de 8,3 bilhões de toneladas e que 6,3 bilhões de toneladas desse total são agora resíduos espalhados pelo planeta [saiba mais aqui].

Então o que podemos fazer?

Especialista recomenda que consumidores evitem usar miniaturas de plástico 
com produtos de higiene disponíveis em banheiros de hotéis (Foto: Getty Images)


"Se as pessoas estão usando lenços umedecidos para remover a maquiagem, certifique-se de que eles estejam sendo devidamente descartados - coloque-os no lixo", diz Brighty**.

"Também tente evitar produtos em pequenas garrafas plásticas."

O especialista recomenda evitar aqueles produtos de higiene minúsculos que estão disponíveis em banheiros de hotel e experimentar xampus e desodorantes sólidos e orgânicos.

Ele vê uma grande oportunidade para jovens empreendedores criarem marcas (e dinheiro) a partir de alternativas éticas.

"Devemos encorajar as pessoas a surgirem com novas ideias e serem revolucionárias. A indústria de cosméticos é multibilionária, quem surge com essas ideias se sai muito bem", acrescenta.

Fonte: BBC Brasil 


NOTAS DA NATUREZA EM FORMA:


**2. Jogar o lixo no lixo é o mínimo. Jogue no lixo reciclável. Se seu prédio, vizinhança, trabalho etc. ainda não tiver um sistema de coleta seletiva de lixo, faça você a diferença e implemente. A prefeitura da sua cidade tem a obrigação de oferecer uma solução nesse sentido. Cobre deles. 

3. Por fim, lembramos que a indústria da beleza pode ser nociva não apenas ao meio ambiente, mas também aos animais. Muitas empresas desse ramo ainda mantêm animais aprisionados por toda a vida e realizam testes cruéis neles. Boicote essas marcas. 

Confira aqui marcas multinacionais que testam em animais. Não compre delas. E aqui tem uma lista das marcas multinacionais que não testam. 

E se você acha que não é possível cuidar da beleza sem agredir o meio ambiente ou os animais, leia aqui.

Dez atores do filme ‘Vingadores’ são veganos ou vegetarianos

Da esq. para a dir.: Chris Hemsworth (Thor), Benedict Cumberbatch (Doutor Estranho), 
Scarlett Johansson (Viúva Negra) e Mark Ruffalo (Hulk) (Foto: Getty Images)


O sucesso dos filmes da Marvel tem sido fenômeno inquestionável do cinema e entretenimento. Sendo o terceiro filme da série, Vingadores: Guerra Infinita (Avengers: Infinity War, 2018) foi recorde de bilheteria do estúdio Marvel e já arrecadou R$ 200 milhões só no Brasil.

A obra é estrelada por celebridades como Benedict Cumberbatch (também conhecido como Doutor Estranho) e Mark Ruffalo (que interpreta O Incrível Hulk), e os atores de filmes tão assistidos têm uma enorme influência sobre seu público – eles não apenas podem mover um espectador com um desempenho excepcional na tela do cinema, mas também fora dela, onde podem e usam sua visibilidade para defender o planeta, a saúde da sociedade e, felizmente, os animais.

No entanto, o que alguns espectadores podem não saber é que muitas das estrelas dos filmes são veganas ou, no mínimo, vegetarianas*. Vários atores e atrizes que se destacam em papéis fundamentais no filme Vingadores: Guerra Infinita são exemplo de estilo de vida para seus fãs.

Elenco consciente

Benedict Cumberbatch, ator que interpreta o Doutor Estranho no filme, já havia mencionado seu estilo de vida vegano em várias entrevistas. Em uma delas, inclusive, comentou que comeu “o máximo de comida que um vegano poderia comer” em uma viagem a Cingapura.

Além dele, o renomado Mark Rufallo, intérprete do personagem Hulk, é conhecido por ser grande defensor dos direitos animais. Através de seu perfil no Twitter, ele incentiva seus seguidores a aderir a campanhas como a Segunda sem Carne. “A produção de carne exige uma grande quantidade de sua pegada de carbono. Podemos comer menos carne, mas por que não cortar?”, já publicou Ruffalo em suas mídias sociais.

Notícia de investigação sobre crueldade animal compartilhada pelo intérprete do Hulk em seu Twitter


Outro nome em destaque na produção do filme dos Vingadores e também no mundo das celebridades veganas é Chris Hemsworth. O ator, que interpreta Thor, é irmão de Liam Hemsworth, ator vegano casado com a cantora vegana Miley CyrusCertamente, a influência do casal foi importante para fazer com que Chris aderisse a uma dieta vegana para se manter em forma. Seu personal trainer já comentou em entrevista à Men’s Fitness Magazine que a dieta vegana os surpreendeu para manter os músculos do ator: “Estamos todos nessa mentalidade de ‘comer proteína animal, proteína, proteína’, mas você pode obter muita proteína com feijão”.

Segundo relatos, outra famosa atriz a aderir a uma alimentação à base de vegetais para se manter em forma para seu papel como Viúva Negra é Scarlett Johansson. “Depois de muita luta e treinamento, mais uma comida vegana crua, você pode se vestir com um macacão”, disse a estrela para a Ecorazzi no mês passado.

Peter Dinklage, que interpreta Eitri no filme da Marvel, é um antigo defensor dos direitos animais, que inclusive já trabalhou em colaboração com a PETA no passado. O ator se manifestou sobre a importância de cuidados de cachorros em adoção. “Por favor, por favor, se você vai trazer um cachorro para sua família, certifique-se de estar preparado para uma responsabilidade tremenda e lembre-se de sempre, sempre, adotar de um abrigo”, afirmou Dinklage.

Chadwick Boseman está em alta entre os atores do filme, já que recentemente estrelou outro sucesso de bilheteria da Marvel, Pantera Negra (Black Panther, 2018). Boseman é o próprio Pantera Negra, e se descreveu recentemente como “principalmente vegano” para a revista de moda Mr Porter. Ele até mencionou à publicação que seu novo estilo de vida vegano lhe deu “talvez os anos mais bonitos de sua vida.

Chadwick Boseman é o Pantera Negra, e acredita que seu estilo de vida vegano 
lhe deu os melhores anos de sua vida (Foto: Divulgação)


Ainda no elenco de Pantera Negra e também estrelando Vingadores: Guerra Infinita, Winston Duke e Danai Gurira atuam respectivamente como M’Baku e Okoye na obra da Marvel, e foram sucesso absoluto em seus papéis. Duke é vegetariano, e Danai já publicou em seu Twitter em novembro de 2017 uma comemoração ao Dia Mundial do Veganismo.

Já no núcleo dos Guardiões da Galáxia, uma dieta saudável também é importante para os atores. Dave Bautista, que interpreta o adorado Drax, e a atriz Zoe Saldana, que faz o papel de Gamora nos filmes da Marvel, são ambos adeptos de um estilo de vida livre de crueldade.

Zoe, entretanto, é vegetariana, já tendo contado à revista Shape que sua família estava se tornando vegetariana. Já Bautista é vegano, não apenas por sua saúde, mas também pelos animais. O ator já compartilhou uma postagem no Twitter com um vídeo de uma criança pequena explicando por que não comer animais, e ele comentou: “Eu tive que passar adiante”.

O estilo de vida das celebridades certamente é influente para os fãs que as acompanham, e já que Vingadores: Guerra Infinita foi e ainda está sendo um sucesso de bilheteria no mundo, já tendo alcançado 12 milhões de espectadores somente no Brasil, espera-se que a filosofia de vida livre de crueldade animal possa ser tão disseminada quanto o sucesso e o carisma dos atores adeptos de dietas veganas.

Fonte: Anda - Agência de Notícias de Direitos Animais 


*NOTA DA NATUREZA EM FORMA:

Saiba aqui as diferenças entre vegetarianos e veganos. 

Cartilha ensina a formar humano-guia para cão cego


Animais cegos precisam de cuidados especiais para que não se machuquem, sem deixar de lado as brincadeiras e interação com outros animais. Mas muitos tutores têm dúvidas de como agir nessa hora. Uma cartilha lançada pela Pedigree faz o caminho inverso ao das escolas de cães-guias e cria uma plataforma para capacitar humanos a cuidar de animais com deficiência visual.

São cinco videoaulas e 12 lições que ensinam, de forma didática, a passear na rua com segurança, desenvolver a memória do cão, brincar de um jeito diferente e criar uma rotina de alimentação e hidratação.

Em formato de e-book, o material tem criação da AlmapBBDO, é gratuito e pode ser consultado no site ou baixado para impressão em casa. As dicas valem para todos os cães. O endereço da plataforma educacional é humanguides.com [apesar do que o nome possa sugerir, o material é todo em português].

Veja abaixo o vídeo de apresentação do projeto.




Fonte: Notícias ao Minuto 

Foto: Reprodução


NOTA DA NATUREZA EM FORMA:

Reforçamos que os principais sentidos do cachorro são o olfato e a audição. Cegueira não é uma sentença de invalidez para o animal. As dicas dessa campanha são importantes para orientar o cachorro nessa nova fase da vida, tornando-a o mais natural possível.

E tutores de cachorros e quaisquer outros animais devem sempre buscar informações sobre como lidar da melhor maneira com seus bichos quando eles se tornam cegos, surdos ou apresentem qualquer outra deficiência ou limitação. 

Mitos e verdades sobre embalagens: qual é mais segura para a saúde e o meio ambiente?


São diversas as pesquisas e estudos que comprovam que a latinha de alumínio é a embalagem ecologicamente mais correta e segura para nosso consumo, mas muitas inverdades e mitos ainda povoam nosso imaginário a respeito desse material – e a maior vítima é o meio ambiente e, consequentemente, nós mesmos. Como o futuro muito nos interessa, embalados pela campanha #VáDeLata, separamos aqui 10 pontos importantes, entre verdades e mitos, sobre a latinha que com certeza você já ouviu falar e agora vai saber se são verdades mesmo ou grandes mentiras. 


1. Não é seguro beber em latinha – MITO

A lata propriamente não transmite nenhuma doença nem prejudica nossa saúde em qualquer sentido. É claro que, assim como qualquer outra embalagem, ela está sujeita às condições de higiene de quem a transporta e armazena, como supermercados, bares, restaurantes e estabelecimentos comerciais. Mas vale reforçar que a superfície do alumínio, em condições normais, é lisa, seca e sem nutrientes, não oferecendo ambiente propício para a sobrevivência e multiplicação de microrganismos. O uso do alumínio aumenta a proteção dos alimentos e, nas embalagens de medicamentos, por exemplo, contribui para minimizar riscos de contaminação e violação dos produtos.

2. Beber na lata aumenta o contato com o alumínio, que é um metal pesado e prejudicial à saúde – MITO

É a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que garante que o alumínio do qual as latinhas são feitas não traz risco algum a nossa saúde. Pesquisas comprovam que o alumínio a que estamos expostos diariamente não causa nenhum efeito nocivo à saúde humana e nosso organismo tem eficientes barreiras que praticamente impedem a absorção desse metal. Por isso, pode beber da sua latinha gelada sem preocupação!

3. Cerveja em lata é ruim – MITO

É claro que gosto é algo pessoal, intransferível e, na prática, indiscutível. Mas o que é possível mensurar a respeito da interferência da embalagem no sabor real da cerveja, já que o líquido que abastece latinhas e garrafas de vidro é o mesmo? Técnica e objetivamente, a latinha preserva mais e melhor o sabor da bebida, já que não permite a incidência de luz e dificulta o contato do líquido com o oxigênio. E por que isso, no caso das cervejas, é ainda mais crítico? Porque em contato com a luz, a cerveja perde suas características – um efeito conhecido como light-struck (degradação da molécula que dá amargor ao lúpulo). O frescor e a pureza do gosto se dão, com isso, mais na latinha do que na garrafa de vidro – o resto é hábito ou propaganda.

4. Bebida em lata tem a mesma quantidade de gás que em garrafa – VERDADE

A quantidade de gás em uma bebida é mensurada de acordo com a necessidade para se manter a qualidade e o sabor em cada embalagem. Logo, de forma proporcional, o gás em lata ou em vidro resulta na mesma qualidade de bebida. A latinha, no entanto, possui a melhor capacidade de vedação entre todas as embalagens do mercado, o que mantém ainda mais o gás e o sabor original da sua bebida preferida.

5. A lata não altera o gosto da bebida – VERDADE

Além de vedar e impedir a entrada de luz, o interior das latas de alumínio é selado por um verniz sem cheiro ou sabor utilizado com o único e fundamental objetivo de preservar o gosto e as características das bebidas embaladas. Sendo a embalagem que melhor impede alterações na qualidade do líquido, a lata definitivamente não altera o sabor.

6. A lata não gela a bebida tão bem quanto as garrafas – MITO


Sendo o alumínio um excelente condutor térmico, a lata gela não só mais rapidamente como de forma mais uniforme que qualquer outra embalagem no mercado. Pode fazer o teste: aproveite uma festa ou um churrasco e comprove, colocando no gelo suas latinhas para ver como sairão estupidamente geladas em pouco tempo. Se preferir, teste a técnica de resfriamento relâmpago para latas (aprenda aqui).

7. Vidro retornável é mais sustentável que a lata – MITO

A sustentabilidade de uma embalagem não se restringe ao produto final sendo utilizado, mas a todo o processo de produção e o ciclo que envolve o produto, da fabricação ao despejo após o consumo. Na verdade, a reciclagem da lata é mais limpa que a do vidro por alguns motivos. Primeiramente porque, se considerarmos a reciclagem de materiais necessários para envasar mil litros de bebida, a massa de materiais com base em vidro é muito maior do que massa em alumínio, o que significa que proporcionalmente precisamos gastar muito mais energia para reciclar garrafas de vidro do que latas, mesmo considerando as reutilizações de garrafas retornáveis – e quanto mais energia consumida, maior a pegada de carbono.

Outro ponto é que o alumínio reciclado consome apenas 5% de energia elétrica para ser produzido quando comparado com a produção do alumínio primário, enquanto o vidro consome 70%. E, por fim, e mais importante, apesar de o vidro ser um material 100% reciclável, ainda se recicla muito pouco no Brasil (em torno de 47%), enquanto 98% das latinhas de alumínio são efetivamente recicladas e retornam em 60 dias para o mercado.

8. As promoções em que se trocam os anéis das latinhas por cadeiras de rodas são falsas – MITO

Tais promoções não só existem como funcionam e são importantes. No Rio de Janeiro, você pode juntar os anéis e doá-los diretamente ao Núcleo de Apoio a Projetos Educacionais e Culturais (Napec), do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueiras (IFF/Fiocruz). Em outros estados, uma boa opção é acionar a ONG Entre Rodas, que atua em âmbito nacional e também recebe doações. 

Latinha é bom demais. Lembra verão, festa, carnaval. Latinha é reciclável, é sustentável, é geração de renda. Latinha é empoderamento*. Latinha gela rápido, preserva o sabor e é pura praticidade e estilo. 



Conheça a campanha Vá de Lata: Facebook / Instagram.




Fonte: Hypeness 

Fotos: Reprodução