Essas descobertas fascinantes sobre os cães te deixarão com raiva dos experimentos com animais


Se você divide sua vida com um amigo de quatro patas, não será nenhuma surpresa saber que cães são muito mais inteligentes e conectados com nossas emoções do que se pensava. Em agosto [2017], a organização Cruelty Free International publicou um artigo sobre uma pesquisa ética inovadora com cães de companhia para levantar a questão dos experimentos em nossos melhores amigos.

Aqui estão sete fascinantes descobertas da pesquisa dos cientistas sobre os cachorros:

1. Quando ouvem os humanos falar, os cães reconhecem e compreendem as distinções entre diferentes palavras;

2. Cães também podem diferenciar tons de voz e reconhecer emoções diferentes no discurso, o que explica aquele olhar de culpa em suas faces quando estão sendo repreendidos por roubarem sorrateiramente comida do seu prato;

3. Cachorros também são capazes de interpretar expressões faciais individuais. Então, após um longo dia de trabalho, eles sabem que você está tão animado ao vê-los quanto eles ao recebê-lo;

4. Ninguém que compartilhe a vida com cães se surpreenderá em saber que eles têm emoções positivas. Vamos ser sinceros… só um cão poderia sentir uma alegria tão imensa caçando uma bola de tênis;

5. Você também sabia que os cachorros podem sentir empatia, tristeza ou medo? Na próxima vez que seu amigo canino chegar para recebê-lo com carinho, você sabe já o porquê;

6. De acordo com os cientistas, os cães também demonstram laços genuínos com os humanos. Os sentimentos de companheirismo e amor de um cachorro não são apenas consequência de os tutores alimentá-los. Eles realmente se importam;

7. Os cientistas envolvidos em alguns desses estudos acreditam que a habilidade canina de sentir amor e conexão significa que eles possuem o mesmo nível de entendimento e consciência de uma criança de três anos de idade. Nós não sujeitaríamos nossas próprias crianças a uma vida num laboratório, portanto, já é hora de pôr um fim aos horríveis experimentos em cachorros de uma vez por todas.

Basta de testes

Essa última pesquisa reforça muito do que já sabíamos sobre nossos amigos peludos. Cachorros são amorosos, fiéis e membros importantes da família.

Mas, todos os anos, mais de 200 mil deles por todo o mundo são forçados a sofrer em experimentos, que incluem testar substâncias químicas e novas drogas para os humanos. Com evidências cada vez maiores de que testar drogas em cães não é uma maneira eficaz de desenvolver novos medicamentos para os humanos e o avanço no número de alternativas humanitárias, não há nenhuma necessidade para essas práticas horrorosas continuarem.

Por essa razão, a Cruelty Free International está pedindo uma proibição total do uso de cães em experimentos para acabar com essa crueldade para sempre. 

Fonte: Olhar Animal (via One Green Planet)

Foto: Flickr/pexels.com


NOTAS DA NATUREZA EM FORMA:

1. O Olhar Animal, que traduziu e replicou a matéria acima, escreveu a seguinte nota: "Os ratos explorados, torturados e mortos pela ciência possivelmente não se enquadram em qualquer um dos sete itens listados pela ONG. Nem por isso os roedores merecem menos consideração moral e o tratamento diferenciado por esses motivos. Basear essa consideração na inteligência do animal ou sua capacidade de interagir e criar laços com os humanos é imensamente injusto e incorreto. Os animais não humanos têm seus próprios interesses e não existem para atender interesses alheios. Além disso, a capacidade de sofrer e a consciência sobre o que ocorre com si próprios são os atributos que justificam a busca do respeito pela vida e bem-estar desses seres, não sua inteligência. No mais, a vulnerabilidade dos animais não humanos criam a exigência moral de que devemos agir pela preservação dessas vidas e não apenas nos omitirmos de causar mal aos animais".

2. Fazemos apenas uma ressalva à nota acima: ratos são, sim, seres inteligentes. Leia aqui sobre a origem do preconceito contra os ratos e aquilo que eles sofrem em testes de laboratórios. E veja aqui um ensaio fotográfico feito por uma canadense para acabar com a imagem negativa desses roedores. 

3. Em nosso Centro de Adoção, temos camundongos e ratos twisters resgatados de testes esperando uma família que lhes cuide com o respeito e amor que merecem. Veja fotos abaixo. Clique aqui para conferir nosso endereço e telefones. 

Camundongos (Foto: Natureza em Forma)

Twister (Foto: Natureza em Forma)


4. E lembramos que não são apenas cachorros e ratos que são usados em testes. Gatos, coelhos, macacos e outros animais também são submetidos diariamente a horrores em laboratórios de todo o mundo. 

5. E todos nós podemos fazer nossa parte contra esse horror. Se você é estudante da área da saúde, pode recorrer ao seu direito de objeção de consciência para ter alternativas ao uso de animais vivos em aulas. "Nenhum aluno precisa participar de aulas que envolvam animais vivos. Nenhum professor ou diretor pode puni-lo, tirar pontos ou reprová-lo por isso, pois você está amparado pela lei. Isso se chama objeção de consciência." Saiba mais a respeito no site da ONG brasileira PEA (Projeto Esperança Animal). Clique aqui.

As indústrias de alimentos, cosméticos etc. também realizam testes em animais. Não compre dessas marcas. Compre somente daquelas que não testam. A ONG PETA (sigla em inglês para Pessoas pelo Tratamento Ético aos Animais) tem listas com algumas dessas empresas, multinacionais em sua maioria, que testam e que não testam em animais.

Já a PEA lista empresas brasileiras que não fazem testes.

E nós ressaltamos um lembrete da PEA, que vale tanto para sua lista quanto para as listas da PETA: todas elas incluem empresas que testam ou não testam em animais, mas não levam em consideração a composição dos produtos, que pode ter algo de origem animal (exemplos: leite, mel etc.). O boicote ideal para quem realmente quer poupar os animais de quaisquer sofrimentos é aquele que exclui da lista do supermercado e da farmácia todos os produtos que são testados em animais ou usam algo tirado de seus corpos, ou seja, que os exploram de alguma maneira. Isso é o veganismo. Seja vegano! 

Mecanismos carcinogênicos das carnes e derivados




Fonte: Dra. Karla Santone   

10 mentiras que as pessoas que comem carne contam para si mesmas


1. "As pessoas sempre comeram carne e sempre comerão"

Desculpa, mas não é verdade. Ao longo da história, muitas culturas evitavam a carne. E só porque algo foi feito no passado, não significa que devemos continuar fazendo. Vamos em frente!

2. "Se eu parar de comer carne, não vai fazer diferença"

Vai fazer diferença, sim, para muitas dezenas de animais que você salvará por ano. E considerando todos os demais que também estão parando de comer, os resultados são ainda mais significantes. Os tempos estão mudando.

3. "Precisamos comer carne por causa das proteínas"

Não, não precisamos. A proteína é abundante em fontes vegetais. Dos feijões às lentilhas e castanhas, você não precisa de carne para ingerir proteínas. É um mito. E fim. 

4. "Animais são tratados 'humanamente' em fazendas"

Nem perto disso! Cerca de 95% dos animais criados e mortos para alimentação têm vidas miseráveis na indústria: superlotação, instalações imundas onde animais são socados em pequenas gaiolas, mutilados sem analgésicos e abatidos sem dó. Ainda assim, mesmo aqueles criados de forma mais "humana" ainda experimentam imenso sofrimento e são abatidos muito novos, impossibilitados de viver uma vida livre*.

5. "Não gosto de comida vegetariana"

Então você não gosta de batata frita e macarrão? E bolos e chocolate? Vamos combinar: você provavelmente come alimentos vegetarianos toda hora e ama. Você só não chama isso de vegetariano. Clique aqui para conhecer dezenas de sites e livros com receitas incríveis, fáceis e acessíveis!

6. "Ser vegetariano não é saudável"

Na verdade, estudos mostram que vegetarianos têm menores taxas de doenças cardíacas, diabetes e câncer. Há evidências clínicas de que uma dieta sem carne, leite ou ovos é uma das melhores formas de perder peso e evitar a obesidade.

7. "Atletas precisam de carne para ficarem fortes"

Certo... fale isso para a tenista Serena Williams, para o jogador de futebol americano Tony Gonzales, para o lutador Mac Danzig, para os fisiculturistas brasileiros Paru Vegan e Felipe Garcia do Carmo e muitos outros! A lista de atletas veganos é impressionante e longa. Esse argumento é furado.

8. "Meu corpo precisa de carne"

Não, não precisa. Releia o número 6. Seu corpo, na verdade, seria muito melhor sem isso.

9. "Se eu parar de comer carne, as vacas vão dominar o planeta"

Sério? Isso se chama oferta e demanda. Se as pessoas pararem de comer carne, as fazendas parariam gradualmente de reproduzir os animais. Simples assim!

10. "A indústria da carne é a única forma de alimentar todo o mundo"

Segura aí! A indústria da carne não apenas é uma das principais causas das mudanças climáticas, como também um local de muito desperdício. Para produzir apenas um quilo de carne vermelha, são gastos 16 quilos de grãos. Imagine quantas pessoas poderiam ser alimentadas com todos esses grãos!


Imagem: Reprodução


NOTAS DA NATUREZA EM FORMA:

*1. Veja o documentário A Carne É Fraca, produzido pelo Instituto Nina Rosa e inteiramente filmado em matadouros que alegam praticar o "abate humanitário". Veja o filme e imagine então como são os locais que praticam abate não humanitário. 

E se você acredita em outra falácia da indústria da carne chamada "galinhas criadas livres de gaiola", leia: A realidade por trás dos ovos “livres de gaiola”.

2.  Animais não são alimento, nenhum deles. Eles não são comida nem escravos dos humanos. Sentem como todos nós e por isso merecem a vida e a liberdade. A alimentação vegetariana estrita, sem carne de qualquer tipo ou derivados (laticínios, ovos, mel), já está provada como sendo a mais saudável para os humanos. Quem opta pelo veganismo (que engloba não somente a dieta vegetariana estrita, como também o não uso de roupas e acessórios de couro, lã, pele e seda, assim como o boicote a "atrações" que exploram os animais, como zoológicos, circos e aquários, e a empresas que fazem testes em animais) está fazendo um bem pelos animais e para sua própria saúde e vida. E não é difícil nem caro. Quer uma ajuda para começar a parar de comer carne? O primeiro passo é a informação. Aprenda com quem já vive esse estilo de vida: pergunte, pesquise. Use as redes sociais para expandir seu conhecimento sobre vários assuntos, inclusive esse, que é vital para você e um imensurável número de vidas inocentes. Há diversos grupos sobre o tema no Facebook. Listamos abaixo alguns deles:

Troll Ajuda disponibiliza um tópico fixo com uma lista de produtos (não só para alimentação) livres de crueldade animal e oferece sempre diversas dicas para iniciantes e "veteranos";

Veganismo é um dos maiores grupos sobre o tema no Facebook, com quase 50 mil membros sempre compartilhando experiências e tirando dúvidas;

Veganismo Popular desmitifica a ideia de que veganismo é caro. É perfeitamente viável seguir uma alimentação diária sem crueldade animal e sem maltratar o bolso;

Musculação Vegana é voltado para os praticantes de atividades físicas. Nele, você pode ver como é preconceituosa e errada a ideia que algumas pessoas tentam propagar, de que vegetarianos estritos são fracos fisicamente (muito pelo contrário, são mais fortes e saudáveis). O grupo oferece diversas dicas de alimentação e suplementação vegana.

Existem diversos sites e blogues com deliciosas receitas veganas (além dos tradicionais livros de receitas), simples e baratas de fazer. Clique aqui para conhecer uma lista deles!

Já a Revista dos Vegetarianos é uma publicação mensal (impressa e on-line) com excelente conteúdo que vai bem além de receitas, focando a saúde como um todo. 

Mapa Vegano lista diversos estabelecimentos em todo o Brasil, abrangendo produtos e serviços de alimentos e bebidas, higiene e beleza, roupas e acessórios, ONGs e outros. 

E para dar uma força aos iniciantes, o Mercy for Animals Brasil disponibiliza um Guia Vegetariano gratuito em seu site. Nele, você encontra diversas informações que podem norteá-lo no começo de uma nova vida. O Desafio 21 Dias Sem Carne também pode ser uma boa forma de você começar - e descobrir que consegue abolir definitivamente os animais do seu cardápio.

Mas já saiba desde o começo que abraçar o veganismo é uma mudança e tanto, que fará um imenso bem para você, para os animais e para o planeta.

A história por trás da foto com o cachorro que comoveu a Espanha


A cadela mais querida do momento na Espanha se chama Jacki − e, na verdade, é macho. Quando as chamas de 30 metros de altura, como Jacki nunca tinha visto, engoliram a paisagem de toda sua vida no monte de Fragoselo (na localidade de Coruxo, em Vigo), ele começou a percorrer o cenário fumegante, ainda incandescente sob as cinzas, e, segundo alguns moradores, passou dois dias levando a cabo uma estranha atividade que deixou todo mundo perplexo: Jacki ia e vinha sem descanso, com determinação, recolhendo cadáveres de animais carbonizados, que depois enterrava em um campo vizinho à igreja. Supostamente, ele não fazia isso por nenhum instinto religioso ou sobrenatural, mas sim porque todo Fragoselo tinha ardido e aquele terreno junto ao templo tinha ficado milagrosamente intacto. O cão de pelos dourados e brancos procurava terra, e não cinzas, para sepultar os pequenos corpos queimados.

A comovedora imagem captada no momento exato pelo veterano fotojornalista Salvador Sas, da Agência EFE, foi registrada na manhã de terça-feira (17/10/2017) na localidade de A Igrexa de Chandebrito, no município de Nigrán (Pontevedra). Assim que foi divulgada pela EFE como “foto do dia”, o retrato do cachorro − que inicialmente, por engano, acreditava-se ser cadela − se espalhou como um rastilho de pólvora pelos meios de comunicação e pelas redes sociais e acendeu na mesma velocidade que o fogo nos corações de leitores e tuiteiros. Para o mundo, o pequeno Jacki acabou se transformando em fêmea e mãe. E o que ele transportava em sua boca descendo o caminho da antiga escola de Chandebrito − que obviamente não era um pedaço de madeira queimada, como poderia parecer para os incrédulos − parecia ser o cadáver de um pequeno animal, possivelmente um filhote de cachorro, que acabou se transformando, aos olhos de quase todo mundo, em “seu” filhotinho.

Ampliando a foto, vemos que o aparente tição transportado por um Jacki de olhos tristes tem cabeça, focinho, orelhas, patas e o que parece uma longa cauda enrolada. Vários moradores de Coruxo confirmam a notícia que circulou naquele dia e garantem que é mesmo uma “cria de cachorro” o que o aventureiro Jacki leva nesse momento, com supremo cuidado, entre as mandíbulas. “É sua cria”, afirma convencido um deles, “porque vinha do lugar onde tinha uma ninhada com uma cadela, e algum outro filhote ele conseguiu mesmo salvar”. O tutor de Jacki está preocupado com a fama de seu animal, pois teme por ele - por isso, as testemunhas não querem que seus nomes sejam divulgados.

À margem do debate sobre a criatura que leva em suas mandíbulas, de segunda a terça-feira Jacki se dedicou incansavelmente à tarefa de recolher diversos animais mortos e “fazer buracos ao lado da igreja”, levado pelo costume de enterrar ossos ou com a intenção de lhes dar uma sepultura. Algumas pessoas contam que o viram “levando coelhos”. À medida que os dias passam, os habitantes dessa região devorada pelo inferno vão descobrindo mais e mais a dimensão de sua desgraça − a quantidade de bens irrecuperáveis, os animais grandes e pequenos carbonizados entre as árvores mortas e alguns cães que seguem desorientados, sem saber voltar para casa. “Aí em cima, as pessoas estão traumatizadas”, descreve um morador de Coruxo. “Naquela noite, fugindo do fogo, desciam intoxicadas, vomitando por causa da fumaça.”

O enérgico protagonista de uma das fotos mais expressivas do desastre galego, do sentimento de perda, começou trabalhando primeiro em seu povoado, Fragoselo, no município de Vigo. Depois, fica evidente que ampliou o raio de ação, pois a fotografia foi tirada já no município limítrofe de Nigrán. No local, havia vários jornalistas e câmeras de televisão, mas só o fotógrafo da EFE conseguiu imortalizar a cena. Eles aguardavam o secretário-geral do Partido Socialista Operário Espanhol, Pedro Sánchez, que tinha anunciado sua visita a Chandebrito, a zona zero da tragédia na comarca, onde no domingo morreram as moradoras Maximina Iglesias e Angelina Otero, de 86 e 78 anos, devoradas pelo fogo do qual fugiam em uma caminhonete branca.

Jacki passou duas vezes entre o grupo de jornalistas que estavam esperando a chegada do político ao povoado desolado. Primeiro em uma direção, e depois, na oposta. Sem soltar esse cadáver negro de sua boca. Mas em Fragoselo, esse pequeno cachorro com uma família que o adora “já era famoso” sem necessidade das redes sociais, conta orgulhosa uma moradora. “Agora, toda a Espanha se apaixonou por ele, mas aqui já era muito conhecido. É um animal muito inteligente”, prossegue. “Anda sempre por todas as esquinas, de lá para cá. Estou convencida de que aquilo que ele levava na foto era, sim, um filhote dele, porque... com o Jacki, tudo é possível."

Fonte: El País  

Foto: Salvador Sas (Agência EFE)